F1

Villeneuve critica punição a Räikkönen, diz que “algo está errado” e insinua: “Se fosse Bottas, seriam 5s”

Todos querem dar sua opinião sobre o acidente entre Kimi Räikkönen e Lewis Hamilton na Inglaterra. Dessa vez, foi Jacques Villeneuve que deu sua visão sobre o episódio, dizendo que não gostou da punição e que caso o finlandês tivesse acertado Valtteri Bottas, a pena seria mais leve
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Jacques Villeneuve (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

O incidente envolvendo Kimi Räikkönen e Lewis Hamilton na largada do GP da Inglaterra ainda tem dado o que falar. Agora, foi Jacques Villeneuve quem resolveu dar sua opinião sobre o assunto, e o ex-F1 foi um tanto quanto polêmico.
 
O finlandês recebeu uma punição de 10s por tocar no inglês, o fazendo rodar e cair para o fim do pelotão. Enquanto isso, Sebastian Vettel recebeu 5s por ter feito o mesmo lance duas semanas antes ao colidir com Valtteri Bottas na França.
 
No entanto, o canadense acredita que as punições foram decididas não pela ação em si, mas sim o competidor que foi acertado. “Não entendo o motivo de ser 10s e da outra vez ter sido 5s. Alguma coisa está errada. Isso é o que está errado, é corrida”, falou.
O momento que decidiu a corrida ocorreu logo na largada: Hamilton rodou após incidente com Räikkönen (Foto: Reprodução)
“Eu não gosto quando há punições de corrida, deveria ser por pilotagem suja, o que é uma coisa diferente, ou por pilotagem estúpida. Eles decidem que é o Lewis, estamos na Inglaterra, ele está brigando pelo título, então vale 10s. Caso fosse o Bottas, seriam 5s, esse é o ponto”, continuou.
 
Jacques ainda aproveitou para lembrar que durante a largada do GP da Áustria, Räikkönen e Verstappen acabaram se tocando, com o holandês levando a melhor. Mas diferente de outros lances, não houve nenhuma pena para o titular da Red Bull. “Às vezes você vê coisas como Verstappen na Áustria, quando ele tocou Kimi”.
 
“Por que não recebeu uma punição? Só porque o Kimi não saiu da pista? Caso ele tivesse saído, então teria uma punição? Isso que está errado, a ação que importa, não o que acontece depois”, encerrou.